Siga o blog por email

Seguidores do Blog

quarta-feira, 30 de abril de 2008

Contratação de Tutores para o Curso de Ciências Contábeis da PUC-Minas

A PUC Minas Virtual contrata, para o 2º semestre de 2008, tutores para as disciplinas, relacionadas abaixo, do curso de Graduação a Distância em Ciências Contábeis.
É pré-requisito que os interessados tenham a formação mínima exigida que consta no quadro.

Disciplinas / Formação mínima
Sistemas Contábeis / Graduação em Ciências Contábeis
Direito Tributário / Graduação em Direito
Direito do Trabalho / Graduação em Direito
Estágio / Graduação em Ciências Contábeis
Cultura Religiosa / Graduação em Filosofia e/ou Teologia

Como parte do processo seletivo, além da análise de currículo, haverá uma prova escrita relativa ao conteúdo a ser desenvolvido no semestre e uma entrevista agendada posteriormente. No momento da entrevista o candidato deverá ter em mãos uma cópia de diploma e histórico escolar, além de uma carta endereçada à PUC Minas Virtual esclarecendo os motivos pelo qual deseja ser tutor da referida disciplina.

Para se candidatar, os interessados devem enviar curriculum vitaeaté o dia 31de maio de 2008, para Sidnei Santos, no e-mail: sidnei.santos@virtual.pucminas.br.

XII CREAD MERCOSUR/SUL - Educação a Distância e Cidadania - RJ

- XII CREAD MERCOSUR/SUL -
EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E CIDADANIA: UM CAMINHO PARA JUSTIÇA SOCIAL
5 a 8 de outubro de 2008
Centro de Convenções Cidade Nova – Rio de Janeiro - Brasil

Chamada para Trabalhos - DATA LIMITE para envio: 15 de julho.
Submissão de trabalhos e outras informações - site oficial do evento: www.cread2008.com.br

Orientações aos autores: http://www.cread2008.com.br/trabalhos/index.php

EIXOS TEMÀTICOS

Eixo Temático 1
EAD como Expressão de Desenvolvimento Social e Tecnológico na Construção de Iniciativas e Políticas para a Justiça Social

Eixo Temático 2
Educação, compartilhamento e solidariedade: um olhar para além da distância

Eixo Temático 3
Significado social: pressuposto para a qualidade em EAD

Eixo Temático 4
Superando distâncias e incluindo socialmente: Tecnologias em EAD

PROMOÇÃO: ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA SÉRGIO AROUCA da FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ (ENSP-Fiocruz) e CONSÓRCIO INTERAMERICANO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA – CREAD.
REALIZAÇÃO: EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (ENSP/Fiocruz).

Profa.Dra.Elomar Castilho Barilli
Pesquisadora
Educação a Distância ENSP/Fiocruz
Divulgação e Informação
www.ead.fiocruz.br
55 21 25982952

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Tele-trabalho será incluído na CLT

São Paulo, 09 de abril de 2008 - O trabalho realizado a distância passará a ser protegido pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), segundo estabelece o Projeto de Lei da Câmara 102/07, que recebeu nesta quarta-feira (9) parecer favorável da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT). A proposta será ainda examinada pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) e pelo Plenário.

Atualmente, segundo o art. 6ª da CLT, não há distinção entre o trabalho realizado no estabelecimento do empregador e o executado no domicílio do empregado, "desde que seja caracterizada a relação de emprego". O projeto aprovado inclui nesse dispositivo o trabalho realizado a distância. O chamado "tele-trabalho" já está previsto nas leis de países como Portugal e Chile, segundo observa em seu voto o relator do projeto, senador Cristovam Buarque (PDT-DF).

"Esse é o caminho do futuro, principalmente quando se percebe a situação dos engarrafamentos que existem nas grandes cidades", disse Cristovam, ao defender a proposta.

O trabalho a distância, na opinião do relator, pode favorecer tanto os empregados quanto os empregadores. Os primeiros, pela possibilidade de escolherem o local onde executarão suas tarefas - desde que o local esteja conectado por meio eletrônico à sua empresa. Quanto aos empregadores, observa o relator, haverá a possibilidade de redução de custos.

Para Cristovam, a aprovação do projeto não esgota a necessidade de atualização da CLT, em vigor há mais de 60 anos. O texto atual, na sua opinião, defende quem já está empregado. Mas muitas vezes dificulta a obtenção de um posto de trabalho por quem se encontra desempregado. O senador lembrou ainda que tramita no Senado projeto de lei de sua autoria que estabelece a concessão, pelos empregadores, de licenças aos empregados que passarem por cursos de qualificação profissional.

Fonte: http://wnews.uol.com.br/site/noticias/materia.php?id_secao=4&id_conteudo=10558

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Tecnologias ajudam na inclusão social

O papel das tecnologias de comunicação e informação na educação básica e a inclusão social foram debatidos nesta quarta-feira, 16, na Conferência Nacional de Educação Básica, em Brasília. A professora Vani Kenski, pós-doutora da Universidade de São Paulo (USP), explicou que tecnologia é tudo o que o homem produz para viver melhor.

“Dentro da escola, temos o giz, a lousa, o livro”, exemplificou. Já as tecnologias de comunicação e informação, segundo Vani, envolvem processos comunicacionais e também servem à mediação. Elas vão desde a televisão, o cinema, o vídeo, o rádio, a internet e até o telefone celular.

“São várias formas de suporte e equipamentos que exigem linguagem diferenciada e que podem ser apropriados na educação”, afirmou. De acordo com Vani, a escola tem o papel fundamental de promover a inclusão social dos alunos a partir do que ela chama de fluência tecnológica. “Na nossa vida cotidiana, as tecnologias já invadiram todos os espaços e precisamos ter uma fluência para lidar com todas as necessidades que elas nos impõem”, esclareceu.

Na visão dela, essa fluência se traduz na capacidade de se fazer uma leitura e um uso crítico das tecnologias. “É preciso que haja nas salas de aula essa possibilidade de uso consciente e coerente das tecnologias para que os processos didáticos possam ser efetuados por meio dessas tecnologias dentro das possibilidades da escola”, completou.

Fonte: http://portal.mec.gov.br/seed/index.php?option=com_content&task=view&id=10338&interna=6

Evento avalia expansão dos cursos de graduação a distância

Gramado (RS) – A educação a distância (EAD) tem registrado avanços significativos em todos os sentidos: regulação, qualidade e, principalmente, quantidade de cursos. Com esta constatação, o secretário de Educação a Distância, Carlos Eduardo Bielschowsky, abriu a primeira palestra do 5º Congresso Brasileiro de Educação Superior a Distância e do 6º Seminário Nacional de Educação a Distância, na noite desta terça-feira, 22, em Gramado (RS).

Os números são impressionantes, e mostram o tamanho da nossa responsabilidade”, observou ele. De fato, dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep/MEC) demonstram a permanente expansão do sistema, principalmente nos cursos de graduação. De 2003 a 2006, o número de cursos de graduação a distância passou de 52 para 349, um aumento de 571%.

Na palestra, Bielschowsky apresentou uma análise das políticas públicas de educação a distância, ressaltando que o grande desafio hoje é de manter a boa qualidade dos cursos. “No ano passado, criamos os referenciais de qualidade e agora toda a regulação e credenciamento dos cursos vai passar pela Secretaria de Educação a Distância”, afirmou.

“A EAD já registrava números sólidos nos cursos de formação continuada. Agora, dados do Enade demonstram que é possível oferecer cursos de graduação a distância com qualidade”, ressaltou. Atualmente, os cursos nesta modalidade correspondem a 5% do total de cursos de graduação.

Fonte: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=10388

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Exclusão na educação é tema da Semana de Ação Mundial 2008

A Semana de Ação Mundial de 2008, "Educação de qualidade para todos: Ponham fim à exclusão, agora", chegou hoje (23), em seu terceiro dia, no ponto alto das manifestações: a mobilização "A maior lição do mundo". Nela, milhões de pessoas em todo o mundo estiveram reunidas, simultaneamente, em salas de aula para discutir exclusão nas escolas. Estima-se que em todo o mundo, existam 72 milhões de crianças sem escolarização.

Os políticos eram o alvo preferencial dos debates. Assim, na Argentina, mais de 250 escolas, em 17 províncias, participaram do ato. Também como parte da Campanha, jovens do país irão ao Senado para apresentar um documento, no qual os parlamentares devem se comprometer a trabalhar para alcançar uma educação de qualidade para todos.

No Chile, milhares de estudantes estiveram nas salas de aula para apresentar às autoridades suas inquietudes e propostas sobre o tema do direito à educação. Enquanto isso, 450 escolas mexicanas também levarão para suas salas de aula representantes das comunidades, personalidades e autoridades locais.

Na Venezuela, quem convocou para a sala de aula simultânea foi o Fórum de Educação para Todos. Já os políticos e estudantes colombianos, se uniram à maior lição do mundo e discutiram o tema da gratuidade, colocando todos e todas contra a exclusão.

A importância da educação inclusiva como meio de alcançar educação para todos, já está pautando os debates da Assembléia Nacional Constituinte no Equador. Nos colégios de todo o país, estão sendo elaborados Diálogos para a Educação, as propostas derivadas desses diálogos vão compor as reivindicações populares para garantir o direito à educação.

E na sexta-feira (25), os estudantes equatorianos farão a tomada das rádios do país para convocar os cidadãos a coordenar ações que exigiam dos constituintes a implementação de temas importantes da educação no texto final da Assembléia.

Os uruguaios se manifestam, durante a Semana de reivindicação, enviando mensagens eletrônicas exigindo qualidade de educação para todos às autoridades do país. Já na Guatemala, a mobilização está sendo feita com arte: uma exposição fotográfica apresenta a grave situação que enfrenta a educação no país.

Em Honduras, e na República Dominicana as manifestações também acontecem desde o dia 21. No Peru, o período da campanha servirá para apresentar os resultados do relatório "School Report - ¡No más excusas!". Como ato da campanha, os brasileiros conhecerão hoje o resultado da consulta eletrônica "O que é qualidade em educação?".

Fonte: http://www.adital.com.br/site/noticia.asp?lang=PT&cod=32718

Cursos de Licenciatura e Bacharelado em LIBRAS à distância

A Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, através da Comissão Permanente do Vestibular - COPERVE, declara que estarão abertas, no período de 10/04/2008 a 05/05/2008, as inscrições ao Processo Seletivo para ingresso nos cursos de Licenciatura em Letras - LIBRAS (língua brasileira de sinais) e de Bacharelado em Letras - LIBRAS (língua brasileira de sinais), oferecidos na modalidade de ensino a distância, para turma única com início das aulas previsto para o segundo semestre de 2008.

Edital:
http://www.coperve.ufsc.br/ead2008/libras/edital.html

terça-feira, 22 de abril de 2008

IV Seminário Jogos eletrônicos: narrativas, aprendizagem e desenvolvimento – construindo novas trilhas - BA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA – UNEB
DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO – CAMPUS I
MESTRADO EM EDUCAÇÃO E CONTEMPORANEIDADE
LINHA DE PESQUISA: Jogos eletrônicos e aprendizagem
Grupo de pesquisa no CNPq – Comunidades Virtuais de Aprendizagem

Período: 18 e 19/08/08
Local: UNEB - Salvador

1. Chamada de trabalho

2. Trabalhos Científicos
2.1 Os Trabalhos encaminhados para serem apresentados nos Grupos de Trabalho serão apresentados ao Conselho Científico do Seminário, preservando a identidade dos autores, garantindo assim, a lisura do processo de seleção de trabalhos.
2.2 Os trabalhos serão analisados considerando a relevância da temática tratada.
2.3 Cada Trabalho Científico deve ser direcionado para um dos Grupos de Trabalho abaixo:

Grupos de Trabalho – GT
GT 1 - Jogos eletrônicos e narrativas
GT 2 - Jogos eletrônicos e educação
GT 3 - Desenvolvimento de games
GT 4 – Arte e Design dos games
3. Submissão de Trabalhos Científicos:
3.1 Os pesquisadores que vem investigando os jogos eletrônicos e suas diferentes relações podem encaminhar trabalhos os GTs acima relacionados.
3.2 O Trabalho deve ser acompanhado de um “Termo de Compromisso de Apresentação” nos seguintes termos: “Eu____ (nome completo do principal responsável pelo Trabalho)____ autorizo, caso meu Trabalho____(nome do Trabalho)____, de autoria de ____(nome de todos os autores)____, seja aprovado pela Comissão Científica IV Seminário Jogos Eletrônicos, Educação e Comunicação: Construindo Novas Trilhas, a publicação imediata nos anais do seminário e no site da instituição organizadora.
3.3 - Nota Importante: Trabalhos sem termo de compromisso não serão aceitos.
3.4 Os Trabalhos aprovados serão publicados nos anais e no site do seminário.
3.5 O envio do Trabalho pode ser feito via rede, pelo endereço games@comunidadesvirtuais.pro.br, ou adequadamente gravado em CD-ROM e enviado para a UNEB - Rua Silveira Martins no. 2555 – Cabula – Departamento de Educação – Campus I – Salvador – Bahia – At: Lynn Alves
3.6 Identificação dos Trabalhos no envio por e-mail
No cabeçalho da mensagem, em “Assunto”, identificar o Trabalho com a sigla TC (Trabalho Científico), seguido do Grupo de Trabalho ao qual o artigo está vinculado e do título do Trabalho. Os nomes dos autores devem vir em uma folha de rosto antes da página inicial do artigo. Orientações: colocar o nome da instituição a que estiver vinculado o (s) autor (es) e o endereço eletrônico (e-mail), usando letra corpo 10.
3.6.a - Exemplo: Um Trabalho Científico vinculado ao Grupo de Trabalho – Jogos e Educação, deverá ser identificado da seguinte forma: TC-JE – "Título do Trabalho Científico".
3.7. Estarão disponíveis para a apresentação dos Trabalhos durante o evento, um computador com sistema operacional básico: Windows 98 com Power Point, Datashow e acesso a Internet.
4. Normas de Padronização
4.1. Os Trabalhos não devem exceder a dez laudas.
4.2. A página deverá ser configurada em papel A4, utilizando os seguintes parâmetros: margem superior 2,5 cm; inferior 2,5 cm; lateral esquerda 3,5 cm; lateral direita 2,5 cm.
4.3. Devem ser escritos em Word for Windows ou Write, na fonte Arial, corpo 12, usando apenas uma das faces do papel, com entrelinhas simples, alinhado a esquerda, recuo para parágrafo de 1,5 e com inserção do número da página no lado direito superior.
4.4. A estrutura da primeira página é a seguinte:
4.4.a - Título centralizado, usando letra maiúscula com corpo 16 e em negrito.
4.4.b - Após o espaço de duas linhas, identificar a data de envio do Trabalho (mm/aaaa)
4.4.c - Após o espaço de uma linha, identificar o Trabalho em um dos Grupos de Trabalhos descritos anteriormente.
4.5. Colocar resumo em português com, no máximo, 200 palavras, em itálico acompanhado das palavras-chave.
4.6. No final do texto colocar as referências bibliográficas e quaisquer anexos.
4.7. As notas de rodapé, em caso de serem indispensáveis, devem ser colocadas no final do Trabalho, antes da referência bibliográfica.
4.8. Os títulos das seções internas devem estar em negrito e posicionados no canto superior esquerdo.
4.9. As figuras e tabelas devem ter legendas.
4.10 - Nota Importante: Trabalhos sem e-mail de todos os autores não serão aceitos.
5.Mostra de jogos eletrônicos

Estaremos realizando uma mostra de jogos eletrônicos, portanto, se você desenvolveu um game e deseja apresentar para a comunidade, envie um email para games@comunidadesvirtuais.pro.br, com as seguintes informações:


1. Nome do jogo
2. Sinopse do game
3. Responsáveis pelo desenvolvimento indicando a instituição a qual estão vinculados
Obs:
1. Deverá ser enviado um cd com o game para UNEB – Departamento de Educação – Campus I. Rua Silveira Martins no. 2555 – Cabula – Salvador – Bahia – At. Lynn Alves até o dia 20/06/08.
2. Os games serão analisados pela comissão de avaliação e a notificação dos selecionados ocorrerá a partir de 20/07/08.

6. Cronograma
Data máxima para encaminhamento dos Trabalhos: 20 de junho de 2008.
Notificação de aceitação: A partir de 20 de julho de 2008

Lynn Rosalina Gama Alves
Doutora em Educação e Comunicação
URL www.comunidadesvirtuais.pro.br
Home page: http://www.lynn.pro.br/
Rede Brasileira de Jogos e Educação

Semana de Educação para Todos pedirá fim da exclusão

Brasília - O mundo pedirá, de 21 a 27 de abril, a universalização do ensino de qualidade em mais uma edição da Semana da Ação Mundial de Educação para Todos. Escolhido durante a III Assembléia Geral da Campanha Global de Educação, realizada em janeiro, em São Paulo, o tema “Educação de Qualidade para Todos: Fim da Exclusão Já” será a motivação da campanha que, em 2007, envolveu cinco milhões de pessoas em todo o mundo. No Brasil, a campanha debaterá a situação do Brasil em relação ao cumprimento das metas educacionais internacionais e as estratégias de implementação no País do Custo-Aluno Qualidade Inicial (CAQi).

Em nível mundial, a iniciativa pressionará o G8 (grupo dos países mais ricos do mundo mais a Rússia) a cumprir as metas educacionais firmadas durante o Fórum Mundial da Educação de 2000 (Educação para Todos) e a investir na educação dos países mais pobres. O marco principal da campanha será “A Maior Lição do Mundo”, marcada para o dia 23 de abril.

A fim de fortalecer a Semana de Educação para Todos, a UNESCO no Brasil trabalhará em conjunto com parceiros tais como a Campanha Nacional pelo Direito à Educação, a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), o Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Educação (Consed) e o Compromisso Todos pela Educação.

Fonte: http://www.unesco.org.br/noticias/ultimas/semanamundialdeeducacao/noticias_view/mostra_padrao

sexta-feira, 18 de abril de 2008

III Encontro de Professores Usuários TelEduc / Ensino Aberto - SP

Data e Horário: 24/04/2008
Responsável: CEAD / CCUEC / UNICAMP
Local: Auditório do Centro de Computação da Unicamp
Inscrições:
http://www.rau-tu.unicamp.br/seven/subscribe.php?e_type=lecture

A Unicamp está no seu sétimo ano de utilização do ambiente de educação a distância TelEduc nas áreas de graduação, pós-graduação
e extensão. Foram anos de aprendizagem cujos resultados apontam alternativas que contribuem para o processo educacional.

Estamos convidando toda comunidade acadêmica (Professores, Alunos e Funcionários envolvidos com EAD) para o encontro que se realizará,
pela terceira vez, no dia 24 de Abril de 2008, das 9h00 às 17h00, no auditório do CCUEC.

Nesse encontro serão apresentadas as experiências de vários Professores que utilizam o ambiente TelEduc / Ensino Aberto em suas
disciplinas de graduação e pós-graduação, a nova versão do ambiente TelEduc e o projeto TIDIA.

As inscrições são gratuítas, abertas à comunidade.

Programação:

09h00 - 09h10: Abertura
Rubens Queiroz (Coordenador da equipe de EAD / CCUEC / UNICAMP)

09h10 - 09h30: Apresentação dos resultados dos cursos ministrados pela
equipe EAD / UNICAMP
MSc Edilene Ropoli (Equipe de EAD / CCUEC / UNICAMP)

09h30 - 12h30: Relatos de experiências com o uso do TelEduc / Ensino
Aberto

Profa. Dra. Kátia Tannous (Faculdade de Engenharia Química)
Profa. Dra. Emilia Rutkowski (Faculdade de Engenharia Civil)
Profa. Dra. Águeda Bittencourt (Faculdade de Educação)
Profa. Dra. Heloisa Vieira (Instituto de Computação)

12h30 - 14h00: Almoço

14h00-17h00: Apresentação do projeto TIDIA e da nova versão do TelEduc
Profa. Dra. Heloisa Vieira (Instituto de Computação)

Grupo GEPETE promove encontros para debater Tecnologias e Educação - PR

O GRUPO GEPETE( grupo de estudos professor, escola e tecnologias educacionais) coordenado pela proessora Glaucia Brito (UFPR), esta
organizando encontros abertos ao publico interessado em debater tecnologias e educação.

Segue abaixo cronograma dos encontros e informações para inscrição.
Será emitido certificado no final do semestre.
***********************************************************************************************
Encontros aberto ao público do GRUPO GEPETE(Grupo de Estudos Professor, Escola e Tecnologias Educacionais)
1º encontro: 30/04/2008 TEMA: Tecnologias na Educação: um re-pensar as 19 horas.
2º encontro: 28/05/2008 TEMA: Formação de professores e as tecnologias as 19 horas
3º encontro: 18/06/2008 TEMA: Eu, professor/professora, preciso de TICs? as 19 horas
4º encontro: 09/07/2008TEMA: Internet na Educação as 19 horas

LOCAL: anfiteatro 100, edificio Dom Pedro I UFPR- Reitoria
As inscrições devem ser feitas no Endereço: *http://tinyurl.com/64utrw

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Novos tempos (?) (Zelinda Barros)

Novos tempos,
novos dias,
Novas técnicas,
novas tecnologias

Novo momento,
nova era
Velhos preconceitos,
velhas quimeras...

Época de viver
Época de amar
Época de saber falar e escutar
Época de discorrer,
De lutar.

Novas tendências,
novos mitos
Jogos de poder
e conflitos
Seguem-se os velhos ritos
Continuam dominando
[os ricos]

Instauram-se novos limites
Novas ordens sociais
Promovem a fome e a guerra
Negam a disseminação da paz.



terça-feira, 15 de abril de 2008

A educação continuada e a formação de professores(as) (Zelinda Barros)

A afirmação de que o processo de formação dos professores não prescinde do investimento constante em atualização pode parecer um truísmo, mas isto ainda não foi plenamente assimilado por todos os sujeitos que fazem do processo ensino-aprendizagem. Por força da vigência de um modelo educacional que privilegia a transmissão automática dos conteúdos, que Paulo Freire chamou de “educação bancária”, ainda nos deparamos com a resistência de professores, alunos e outros agentes educativos em rever idéias e comportamentos arraigados.
A comodidade, para os acomodados, de ter que fazer apenas ligeiros ajustes nos conteúdos a serem trabalhados, além da “economia de tempo” com pesquisa de novas práticas e idéias, faz com que um esforço quase que hercúleo tenha que ser feito para modificar as concepções ultrapassadas sobre o processo educativo e sobre o papel do professor neste processo. E isto repercute inclusive na postura do professor que se encontra engajado em atividade de formação. Para ilustrar, cito um momento presencial de um curso à distância que faço atualmente, em que um dos professores presentes, ao perceber a discussão sobre a realidade social brasileira, interrompeu a fala de uma colega alegando que aquela discussão não estava dentro do que foi programado. Naquele momento, me perguntei como seria aquele professor em sala de aula, pois uma associação simples e óbvia (pelos menos é o que deveria ser) entre o contexto socioeconômico brasileiro e a realidade educacional para ele parecia sem sentido e inoportuna.
Acostumados a lidar apenas com “o conteúdo da disciplina” e reproduzir somente o que diz respeito à sua área de conhecimento, os professores muitas vezes agem como aqueles que olham, mas não vêem. Assim, se repete a velha farsa do “professor fazer de conta que ensina e o aluno fazer de conta que aprende”.
Vários fatores são apontados como responsáveis pela má situação em que se encontra a educação brasileira, sendo a falta de recursos materiais e financeiros o mais recorrente. Ao me encontrar fazendo uma pesquisa em que se buscou levantar os fatores que, em escolas com estruturas físicas precárias e professores com baixos salários, levavam ao sucesso dos alunos numa avaliação feita nacionalmente, pude perceber que é necessário, mais do que nunca, uma mudança urgente no modo como os sujeitos envolvidos se relacionam no processo educativo, pois ficou claro que o compromisso e a responsabilidade com o fazer antecedem qualquer outro aspecto.
O vínculo necessário entre ensino e pesquisa, neste contexto de falta de compreensão acerca do papel do professor e da importância do processo educativo, torna-se algo distante da realidade. O papel crucial da formação continuada dos professores se destaca justamente pela existência deste quadro, em que a ênfase deve ser deslocada dos conteúdos para as posturas frente ao trabalho com os mesmos em contingentes humanos que são tão variados quanto variada é a humanidade.

© 2006 Zelinda Barros. Reprodução permitida, desde que citada a fonte.

A EaD e a globalização (Zelinda Barros)

ERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL/SENAC

O processo de globalização, cujo apogeu tem sido vivido nos dias atuais, traz consigo as contradições inerentes ao movimento de expansão do domínio territorial e econômico – desde a sua origem - e cultural, ainda mais acentuado atualmente. Neste contexto, a abolição ou diminuição das distâncias, ambicionada pelo incremento das tecnologias da comunicação, não pode se concretizar plenamente num mundo ainda profundamente dividido por profundas desigualdades sociais e interesses políticos e econômicos conflitantes.

O surgimento da modalidade de educação à distância, que, assim como a globalização, não é fenômeno recente, traz consigo as possibilidades de ampliação do número de pessoas a se beneficiarem do conhecimento socialmente produzido, extrapolando fronteiras geográficas e proporcionando acesso à educação a segmentos populacionais que, sem este recurso, seriam alijados neste processo. Contudo, no contexto socioeconômico brasileiro, onde a má distribuição de renda encontra-se associada a fatores como racismo e sexismo e contribui para o aumento do contingente de pessoas socialmente excluídas, torna-se ainda mais difícil a disseminação das novas tecnologias e a democratização do seu acesso.

Além destes fatores, que são diretamente relacionados à realidade brasileira e possuem conexões com fenômenos ocorridos em nível mundial, podemos assinalar a estrutura educacional em si, que limita as possibilidades de ampliação de acesso aos segmentos mais empobrecidos. Tradicionalmente, a educação brasileira tem privilegiado a elite econômica e servido de instrumento para a sua reprodução, sem considerar as contribuições culturais das diversas matrizes civilizatórias que integram o nosso país nem contemplar as possibilidades de construção de uma visão de nação multiétnica, considerando suas implicações socioculturais, econômicas e políticas. Apenas muito recentemente começamos a vislumbrar mudanças significativas na estrutura educacional brasileira. Tais mudanças, sem dúvida, repercutirão no modo como a acesso e a utilização de novas tecnologias poderá ocorrer.

A EAD herda, assim, os mesmos problemas com os quais se depara o ensino presencial, mas justamente pelas possibilidades de pôr em interação pessoas provenientes de distintas realidades sociais, nos lugares mais distantes, pode se tornar uma poderosa ferramenta na busca coletiva de superação dos problemas que afligem a todas(os) nós brasileiras(os). Desta forma, teremos um aspecto positivo da globalização contribuindo para a neutralização do seu próprio veneno.


© 2006 Zelinda Barros. Reprodução permitida, desde que citada a fonte.

sábado, 12 de abril de 2008

UNESCO lança série sobre "Tecnologia, informação e inclusão"

Tecnologia, informação e inclusão é uma série de folhetos destinada a jornalistas atuantes na mídia comunitária, estudantes e ao público em geral. Seu objetivo é estimular a disseminação de informação e o debate sobre a contribuição das novas tecnologias de informação e comunicação para o desenvolvimento social no Brasil. A série é composta por vários volumes temáticos apresentados em folhetos que tratam de aspectos específicos de cada tema. Os volumes e seus respectivos PDFs são:

v. 1: Acesso às novas tecnologias (4 folhetos):

* n. 1: Brasil no rumo da inclusão (PDF - 4 p.)
* n. 2: o papel das ongs (PDF - 4 p.)
* n. 3: o papel do governo (PDF - 4 p.)
* n. 4: telecentros no país (PDF - 4 p.)

v. 2: Informação para todos (3 folhetos):

* n. 1: acesso do portador de necessidade especial (PDF - 4 p.)
* n. 2: telecentros acessíveis (PDF - 4 p.)
* n. 3: acesso muda a vida das pessoas (PDF - 4 p.)

v. 3: Computador na escola (3 folhetos):

* n. 1: a dura realidade nas escolas (PDF - 4 p.)
* n. 2: o futuro anunciado (PDF - 4 p.)
* n. 3: tecnologia e aprendizagem (PDF - 4 p.)

v. 4: Juventude e Internet (5 folhetos):

* n. 1: sonho de jovem inclui emprego e um computador (PDF - 4 p.)
* n. 2: do maracatu atômico ao hip-hop digital (PDF - 4 p.)
* n. 3: indígenas recriam a própria imagem em vídeo (PDF - 4 p.)
* n. 4: o caso de três jovens brasilienses (PDF - 4 p.)
* n. 5: ameaças na rede (PDF - 4 p.)
Pesquisa personalizada
Se quiser, pode copiar e reproduzir os artigos aqui publicados, desde que sejam citadas a fonte e a autoria.