Siga o blog por email

Seguidores do Blog

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

FUNCEB inscreve projetos de tecnologia digital - BA

EDITAL DE CULTURA DIGITAL (EDITAL nº 30/2008)

digital_capa

O Estado da Bahia, através da Secretaria de Cultura - SECULT/Fundo de Cultura da Bahia e da Fundação Cultural do Estado da Bahia - FUNCEB, com objetivo de incentivar a produção e a difusão de conteúdos culturais através de suportes digitais no Estado da Bahia, torna público que no período de 26 de novembro de 2008 a 22 de janeiro de 2009 estarão abertas as inscrições para a seleção e concessão de apoio a projetos cujo objeto ou suporte envolvam as tecnologias digitais e as novas mídias, nos termos do presente Edital e seus Anexos e com observância das disposições das Leis Estaduais 9.433/05, 9.431/05 e 9.846/05 e dos Decretos Estaduais 9.266/04, 9.683/05 e 10.992/08.

Instruções e download em: http://www.fundacaocultural.ba.gov.br

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

FabriCO seleciona Instructional Designers - SC

No ano de 2009, a FabriCO em parceria com a Recrutech, abrem oportunidades para contratação de pessoas com competencia no Desenvolvimento de Material Didatico e outras atividades desenvolvidas pelo Designer Instrucional.

A FabriCO está localizada em São José- SC grande Florianopolis, atuando no setor de educação à distância. Dez (10) oportunidade para Designer Instrucional estão disponíveis. Para esta posição será solicitada a construa de material didático pedagógico de forma criativa com textos apropriados e direcionados, bem como outras atividades de criação para a construção de material diversificado a ser utilizado nos diversos modelos de cursos. Deve, para isso, analisar o conteúdo e o público alvo. É relevante que os candidatos tenham primordialmente, experiência precedente de construção de textos, preferivelmente em empresas de educação a distancia ou de Agências de Publicidade. Ter boa habilidade de escrita, bom português, inglês instrumental assim como fornecer modelos de algum tipo de material criados anteriormente para serem analisados. Os candidatos devem igualmente ter formação em pedagogia, letras, jornalismo ou graduação com certificados de Licenciatura ou diploma em áreas afins.
É pertinente que tenha especialização ou mestrado. Para se candidatar, deve demonstrar pró-atividade, percepção aguçada, concentração e bom relacionamento interpessoal.
Para interessados, serão realizados wokshops abertos para exposição de metodologias utilizadas pela empresa para identificar competencias de participantes para contratação.

Envie seu curriculum para o endereço: curriculum@recrutech.com.br

Att.
--
Andréa Cristina dos Passos
Psicóloga - CRP: 12/07380
cel: +55 48 8842-6751

Escritório Grande Florianópolis
Centro Empresarial TerraFirme
Rua Domingos André Zanini, 277/716 - Barreiros - São José - SC
Tel: +55 48 3029-3120
www.recrutech.com.br

domingo, 21 de dezembro de 2008

Abaixo-assinado contra Projeto de Lei Azeredo


DIVULGUE!

EM DEFESA DA INTERNET - CONTRA O PROJETO DE LEI AZEREDO - LEIA E ASSINE VOCÊ TAMBÉM.


EM DEFESA DA LIBERDADE E DO PROGRESSO DO CONHECIMENTO NA INTERNET BRASILEIRA

A Internet ampliou de forma inédita a comunicação humana, permitindo um avanço planetário na maneira de produzir, distribuir e consumir conhecimento, seja ele escrito, imagético ou sonoro. Construída colaborativamente, a rede é uma das maiores expressões da diversidade cultural e da criatividade social do século XX. Descentralizada, a Internet baseia-se na interatividade e na possibilidade de todos tornarem-se produtores e não apenas consumidores de informação, como impera ainda na era das mídias de massa. Na Internet, a liberdade de criação de conteúdos alimenta, e é alimentada, pela liberdade de criação de novos formatos midiáticos, de novos programas, de novas tecnologias, de novas redes sociais. A liberdade é a base da criação do conhecimento. E ela está na base do desenvolvimento e da sobrevivência da Internet.

A Internet é uma rede de redes, sempre em construção e coletiva. Ela é o palco de uma nova cultura humanista que coloca, pela primeira vez, a humanidade perante ela mesma ao oferecer oportunidades reais de comunicação entre os povos. E não falamos do futuro. Estamos falando do presente. Uma realidade com desigualdades regionais, mas planetária em seu crescimento.

O uso dos computadores e das redes são hoje incontornáveis, oferecendo oportunidades de trabalho, de educação e de lazer a milhares de brasileiros. Vejam o impacto das redes sociais, dos software livres, do e-mail, da Web, dos fóruns de discussão, dos telefones celulares cada vez mais integrados à Internet. O que vemos na rede é, efetivamente, troca, colaboração, sociabilidade, produção de informação, ebulição cultural. A Internet requalificou as práticas colaborativas, reunificou as artes e as ciências, superando uma divisão erguida no mundo mecânico da era industrial. A Internet representa, ainda que sempre em potência, a mais nova expressão da liberdade humana.

E nós brasileiros sabemos muito bem disso. A Internet oferece uma oportunidade ímpar a países periféricos e emergentes na nova sociedade da informação. Mesmo com todas as desigualdades sociais, nós, brasileiros, somo usuários criativos e expressivos na rede. Basta ver os números (IBOPE/NetRatikng) : somos mais de 22 milhões de usuários, em crescimento a cada mês; somos os usuários que mais ficam on-line no mundo: mais de 22h em média por mês. E notem que as categorias que mais crescem são, justamente, "Educação e Carreira", ou seja, acesso à sites educacionais e profissionais. Devemos assim, estimular o uso e a democratização da Internet no Brasil. Necessitamos fazer crescer a rede, e não travá-la. Precisamos dar acesso a todos os brasileiros e estimulá-los a produzir conhecimento, cultura, e com isso poder melhorar suas condições de existência.

Um projeto de Lei do Senado brasileiro quer bloquear as práticas criativas e atacar a Internet, enrijecendo todas as convenções do direito autoral. O Substitutivo do Senador Eduardo Azeredo quer bloquear o uso de redes P2P, quer liquidar com o avanço das redes de conexão abertas (Wi-Fi) e quer exigir que todos os provedores de acesso à Internet se tornem delatores de seus usuários, colocando cada um como provável criminoso. É o reino da suspeita, do medo e da quebra da neutralidade da rede. Caso o projeto Substitutivo do Senador Azeredo seja aprovado, milhares de internautas serão transformados, de um dia para outro, em criminosos. Dezenas de atividades criativas serão consideradas criminosas pelo artigo 285-B do projeto em questão. Esse projeto é uma séria ameaça à diversidade da rede, às possibilidades recombinantes, além de instaurar o medo e a vigilância.

Se, como diz o projeto de lei, é crime "obter ou transferir dado ou informação disponível em rede de computadores, dispositivo de comunicação ou sistema informatizado, sem autorização ou em desconformidade à autorização, do legítimo titular, quando exigida", não podemos mais fazer nada na rede. O simples ato de acessar um site já seria um crime por "cópia sem pedir autorização" na memória "viva" (RAM) temporária do computador. Deveríamos considerar todos os browsers ilegais por criarem caches de páginas sem pedir autorização, e sem mesmo avisar aos mais comum dos usuários que eles estão copiando. Citar um trecho de uma matéria de um jornal ou outra publicação on-line em um blog, também seria crime. O projeto, se aprovado, colocaria a prática do "blogging" na ilegalidade, bem como as máquinas de busca, já que elas copiam trechos de sites e blogs sem pedir autorização de ninguém!

Se formos aplicar uma lei como essa as universidades, teríamos que considerar a ciência como uma atividade criminosa já que ela progride ao "transferir dado ou informação disponível em rede de computadores, dispositivo de comunicação ou sistema informatizado" , "sem pedir a autorização dos autores" (citamos, mas não pedimos autorização aos autores para citá-los). Se levarmos o projeto de lei a sério, devemos nos perguntar como poderíamos pensar, criar e difundir conhecimento sem sermos criminosos.

O conhecimento só se dá de forma coletiva e compartilhada. Todo conhecimento se produz coletivamente: estimulado pelos livros que lemos, pelas palestras que assistimos, pelas idéias que nos foram dadas por nossos professores e amigos... Como podemos criar algo que não tenha, de uma forma ou de outra, surgido ou sido transferido por algum "dispositivo de comunicação ou sistema informatizado, sem autorização ou em desconformidade à autorização, do legítimo titular"?

Defendemos a liberdade, a inteligência e a troca livre e responsável. Não defendemos o plágio, a cópia indevida ou o roubo de obras. Defendemos a necessidade de garantir a liberdade de troca, o crescimento da criatividade e a expansão do conhecimento no Brasil. Experiências com Software Livres e Creative Commons já demonstraram que isso é possível. Devemos estimular a colaboração e enriquecimento cultural, não o plágio, o roubo e a cópia improdutiva e estagnante. E a Internet é um importante instrumento nesse sentido. Mas esse projeto coloca tudo no mesmo saco. Uso criativo, com respeito ao outro, passa, na Internet, a ser considerado crime. Projetos como esses prestam um desserviço à sociedade e à cultura brasileiras, travam o desenvolvimento humano e colocam o país definitivamente para debaixo do tapete da história da sociedade da informação no século XXI.

Por estas razões nós, abaixo assinados, pesquisadores e professores universitários apelamos aos congressistas brasileiros que rejeitem o projeto Substitutivo do Senador Eduardo Azeredo ao projeto de Lei da Câmara 89/2003, e Projetos de Lei do Senado n. 137/2000, e n. 76/2000, pois atenta contra a liberdade, a criatividade, a privacidade e a disseminação de conhecimento na Internet brasileira.


André Lemos, Prof. Associado da Faculdade de Comunicação da UFBA, Pesquisador 1 do CNPq.

Sérgio Amadeu da Silveira, Prof. do Mestrado da Faculdade Cásper Líbero, ativista do software livre.

João Carlos Rebello Caribé, Publicitário e Consultor de Negócios em Midias Sociais

PARA ASSINAR O ABAIXO-ASSINADO, CLIQUE AQUI.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

E-labora seleciona bolsistas - SP

O e-Labora: laboratório de e-learning é um dos laboratórios de desenvolvimnento do Projeto TIDIA - Modalidade Aprendizado Eletrônico, financiado pela Fapesp.

O projeto está iniciando seu último ano e para tal estamos selecionando bolsistas de treinamento técnico para trabalhar aqui na Unicamp em nosso laboratório.

Temos 2 vagas para bolsistas TT-V (R$ 4.508,10), uma para bolsista TT-IVA(R$ 3.110,40) e uma para bolsista TT-IV (R$ 1.898,40). Os requisitos mínimos exigidos devem ser consultados no site da Fapesp (http://www.fapesp.br) , bem como informações sobre o Projeto TIDIA - Aprendizagem Eletrônica e as tecnologias envolvidas no seu desenvolvimento.

início: janeiro/2008 término: dezembro/2008

Perfil dos Bolsistas:
Formação
• Ciência da Computação
• Engenharia de Computação

Requisitos Mínimos
• Programação Orientada a Objetos em Java
• Sólidos conhecimentos em UML
• Experiência em
- J2EE 1.4 ou JEE 5.0
- Java Server Pages (JSP)
- HTML, CSS
• Boa comunicação oral e escrita
• Inglês Técnico

Requisitos Desejáveis
• Bons conhecimentos em algumas das seguintes tecnologias ou ferramentas:
- UML Components
- Struts
- Java Server Faces (JSF)
- JUnit
- Javadoc
- XML
- Eclipse
- ANT
- MAVEN
- SQL
- Hibernate

Tempo de Experiência:
Bolsa TT-V:
Ser especialista em tecnologia da informação, com pelo menos 5 anos de experiência ou título de doutorado na área de análise de sistemas

Bolsa TT-IVA:
Ser especialista em tecnologia da informação, com pelo menos 4 anos de experiência na área de análise de sistemas

Bolsa TT-IV:
Ser especialista em tecnologia da informação, com dois anos de experiência ou título de mestrado na área de análise de sistemas

Os bolsistas aceitos não podem ter vinculo empregatício.

*Candidatos interessados deverão enviar um email de interesse com currículo anexo para Selma (selmacintra@gmail.com) até dia 15.12.2008

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Conferência Educação a Distância: Desafios e possibilidades - BA

É com satisfação que o convidamos para participar da conferência Educação a Distância: Desafios e possibilidades promovido pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia --UESB., realizar-se-á em 11 de dezembro de 2008

Alguns Palestrantes:

Dr. Hélio Chaves Fillho (SEED-MEC)
Dr. José Manuel Moran (USP)
Dr. Marcos Antônio da Silva (UERJ)
Dra. Edméa Oliveira dos Santos (UERJ)

O evento tem como objetivo divulgar as políticas públicas de EAD no Brasil, promovendo a discussão e o incentivo de trabalhos voltados para essa área. As inscrições são gratuitas e estarão abertas a partir desta quinta-feira, 27, até o dia 6 de dezembro.

Conferência Educação a Distância: Desafios e possibilidades - BA

É com satisfação que o convidamos para participar da conferência Educação a Distância: Desafios e possibilidades promovido pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia --UESB., realizar-se-á em 11 de dezembro de 2008

Alguns Palestrantes:

Dr. Hélio Chaves Fillho (SEED-MEC)
Dr. José Manuel Moran (USP)
Dr. Marcos Antônio da Silva (UERJ)
Dra. Edméa Oliveira dos Santos (UERJ)

O evento tem como objetivo divulgar as políticas públicas de EAD no Brasil, promovendo a discussão e o incentivo de trabalhos voltados para essa área. As inscrições são gratuitas e estarão abertas a partir desta quinta-feira, 27, até o dia 6 de dezembro.

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

ABED se pronuncia a respeito das decisões do MEC

Pronunciamento da ABED às Ações do SEED-MEC, novembro de 2008 Tendo sido solicitada para manifestar sua opinião sobre as recentes decisões da Secretaria de Educação a Distância do Ministério da Educação quanto ao desempenho de algumas instituições de ensino superior, como Presidente da ABED-Associação Brasileira de Educação a Distância, sociedade científica sem fins lucrativos, aproveito esta oportunidade para fazer as seguintes observações:

1. É louvável a insistência do Ministério da Educação (MEC) em estabelecer critérios para a garantia de qualidade por parte das instituições credenciadas para oferecer cursos através da modalidade educação a distância (EAD). Essa função atribuída ao MEC pela Constituição do país deve ser um esforço de múltiplas etapas. A ABED espera continuar apoiando o MEC, sobretudo promovendo pesquisas e conclaves, nos quais os critérios de qualidade em EAD são debatidos por educadores e outros profissionais experientes. Quando entidades da sociedade civil e órgãos do Estado juntam suas energias em prol de uma meta comum, os resultados certamente são mais positivos. Nesse sentido, a ABED teve a honra de ser parceira da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados na realização de um seminário internacional, em 16 de junho, sobre as “conquistas” da EAD nos últimos anos.

2. A EAD representa a mais apropriada solução para aumentar o acesso a estudos pós-secundários destinado a camadas da nossa população que não tiveram essa oportunidade no passado, ou por morarem longe dos centros urbanos (70% dos municípios brasileiros não dispõem de qualquer instituição de ensino superior), ou por não terem condições econômicas para se dedicar aos estudos. A flexibilidade oferecida pela EAD é ideal para pessoas que têm
de trabalhar para seu próprio sustento, que têm a motivação para progredir profissionalmente e a auto-disciplina necessária para completar tarefas acadêmicas, mesmo quando não há um docente a seu lado auxiliando-as. É difícil imaginar uma preparação melhor para demandas profissionais cada vez mais exigentes.

3. Seja na convencional opção presencial, seja na modalidade a distância, os critérios de qualidade no ensino superior devem ser iguais, levando o aluno aos mesmos propósitos: usar a informação com inteligência, aplicar o conhecimento adquirido na disciplina escolhida e em outras áreas, desenvolver espírito crítico e realizar pesquisa, além de comunicar-se com clareza.

4. As restrições do MEC a certas instituições por terem demonstrado deficiências, não implica penalização, mas preocupação com o aperfeiçoamento continuado e sustentável—tal como as práticas esportivas que impõem obstáculos cada vez mais desafiadores. Por isso, achamos salutar que as instituições sempre tenham a oportunidade de corrigir suas atividades sujeitas a críticas justas.

5. Consideramos oportuno que a mídia veicule comentários não somente a respeito das instituições que receberam uma “chamada de atenção” (por deficiências no seu desempenho acadêmico), mas também sobre a grande maioria que oferece cursos a distância operando com sucesso e com qualidade equivalente à dos mais destacados centros de ensino superior no exterior. A ABED, desde sua fundação, em 1995, vem defendendo a idéia de que é contraproducente assumir que qualidade (no binômio ensino/aprendizagem) seja monopólio de instituições públicas—há exemplos de excelência e de mediocridade em ambos os universos, no convencional ou a distância.

6. A intervenção do MEC nas instituições não está baseada nos resultados de avaliação da aprendizagem determinados pela Lei do SINAES (Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior), segundo a qual o maior peso da nota de avaliação da qualidade da aprendizagem na graduação está nos resultados do ENADE. Esses resultados do ENADE são amplamente favoráveis à modalidade da EAD como parâmetro legal para o indicativo de qualidade.

7. Acreditamos que o MEC esteja equivocado ao estabelecer que há apenas um único modelo de qualidade na EAD, e que é este o modelo adotado pela Universidade Aberta do Brasil (UAB), importante projeto do próprio Ministério. O MEC diz que é apenas no formato da educação “semipresencial” (a mistura do presencial com a EAD), com atendimento regular de alunos em “pólos presenciais, é que existe “qualidade”. Essa visão diminui as possibilidades de experimentação, de inovação e de abordagens pluralistas, fatores altamente positivos, defendidos na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (No. 9394/1996) . Da mesma forma, representam uma atitude conservadora e fechada. Por exemplo, o MEC exige biblioteca presencial e específica para cada curso oferecida no pólo, e não aceita bibliotecas digitais online, ou a possibilidade de a biblioteca central da universidade enviar livros solicitados pelos alunos.

8. As premissas de "estrutura física e de tutor presencial" adotadas pelo MEC representam, na prática, um entrave para a EAD no país. O que o MEC está propondo é um retorno à década de 1970 no Brasil, quando as grandes universidades públicas, que buscavam atender a uma ou outra região distante, criavam ali um "campus avançado", que funcionava de forma semelhante ãquilo que o MEC está propondo para a UAB. Naquele "campus avançado" era criado um ou outro curso, com uma pequena infra-estrutura de apoio e com o deslocamento temporário de professores da universidade para atender aquela localidade. Ou seja, a exigência do MEC de que todas as instituições devem seguir o modelo único dos pólos presenciais da UAB oprime a educação a distância e cria a "educação distante". O MEC tem o direito e a liberdade de proceder assim no seu próprio programa, mas não pode obrigar toda a sociedade a fazer o mesmo.

9. A ABED sempre defendeu uma EAD de qualidade, e sempre estimulou a pesquisa científica e a troca de saberes para a inovação tecnológica e o desenvolvimento de estratégias educacionais na modalidade. Mas, a atual
política do MEC é restritiva ao uso das novas tecnologias, em especial às tecnologias digitais que estão revolucionando a educação em todo o mundo. Pesquisa do INEP mostrou que 82,9% dos alunos da EAD estão conectados à Internet, e que o Brasil é o país com a maior taxa de crescimento da rede www no mundo. O MEC parece não reconhecer a validade dos fenômenos contemporâneos de aprendizado em rede, do “empowered student” (o aluno ‘fortalecido’ pelo apoio da tecnologia), de inteligência coletiva, de professores e de alunos interagindo on-line e off-line sem prejuízo para o resultado da aprendizagem, do uso de sistemas avançados de simulação e virtualidade, além de outros exemplos de sucesso em todo o mundo. É significativa que a edição de 2008 (reportando a situação de 2007) do Anuário Estatístico Brasileiro da Educação a Distância demonstrou que, pela primeira vez, a forma de estudo mais utilizada na EAD no Brasil foi através da Internet, e não mais através de material impresso.

10. Nós não queremos acreditar que o Brasil esteja entrando numa fase de conservadorismo político e administrativo na educação superior a distância, com a imposição de um modelo único e da ameaça de descredenciamento das instituições que tentarem fazer seu trabalho de outro modo. Temos certeza de que os responsáveis pela área de EAD no Ministério compartilham com os associados da ABED no que se refere a uma visão universal de desenvolvimento científico e tecnológico e de propostas educacionais, cujo conteúdo é a experimentação e a avaliação de resultados efetivos--o caminho para a modernização, para a conquista de novos patamares de conhecimento e a descoberta de novas ferramentas para o aprimoramento cognitivo. A ABED quer se unir ao MEC para desenvolver na EAD nacional um ambiente de práticas de qualidade que contribuam para o desenvolvimento geral do país. Com o reconhecimento de múltiplos modelos de atuação, além da aplicação de um alto nível de exigência acadêmica dos alunos, docentes e instituições envolvidos no processo, com certeza venceremos esta etapa de “dores de crescimento”.

Prof. Dr. Fredric M. Litto
Presidente, ABED
São Paulo, 27 de novembro de 2008
Dia Nacional de Educação a Distância

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Palestra sobre Inovações em Produção, Gestão e Entrega de Conteúdos Digitais em EAD - BA

Palestra sobre Inovações em Produção, Gestão e Entrega de Conteúdos Digitais em EAD a ser realizado no dia 26/11/2008 na Universidade Corporativa Embasa, Parque Dep. Paulo Jackson, Rio Vermelho (Lucaia), Auditório Rio Paraguaçu, no horário das 15 h às 17:30 h com a seguinte Programação:
Patrimônio Intelectual das Organizações
Diagnóstico de Competências
Da Gestão de Documentos a Gestão de Acervos Multimídia
Ambientes de Aprendizagem
Apresentação de Casos Práticos
Palestrante:
Romain Mallard
Mestre em Informática Aplicada (PUC/PR)
Mestre em Sistemas de Informação (UTC / França)
Pós Graduado em Gestão de Projetos de Inovação (UTC - França)
Graduado em Engenharia Mecânica (UTC - França)
Diretor de Tecnologia da Digital SK
Confirmar participação com:
Rosa de Cátia Souza Silva
Universidade Corporativa Embasa
(71) 3372-4965 / 3372-4833

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

ABED promove Web conferência em homenagem ao Dia da EaD

A coordenação do Pólo ABED-RJ tem a satisfação de convidar seus associados e amigos para participarem da webconferência a ser realizada no próximo dia 28/11, às 14h, como parte dos eventos comemorativos ao Dia Nacional de Educação a Distância.

webconferência

Qualificação a distância de profissionais ligados à gestão de projetos de investimentos na esfera pública: a experiência do Curso Gestão de Projetos de Investimentos da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca da Fundação Oswaldo Cruz.

Profa. Dra. Luisa Regina Pessoa
Especialista em Gestão de Projetos de Investimento

Link de acesso: www.redefiocruz.fiocruz.br
Perguntas – no próprio ambiente virtual de interação
A chamada do evento será colocada no site no dia do evento
Requisitos técnicos - Real Player

PROMOÇÂO: Associação Brasileira de Educação a Distância.
REALIZAÇÃO: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Fiocruz)
Educação a Distância.
APOIO – Rede Fiocruz

ELomar Castilho Barilli
Coordenadora Pólo ABED - RJ

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

FGV disponibiliza cursos gratuitos online

Mais de 23 mil brasileiros já fizeram os dois cursos gratuitos do FGV Online e da Universidade da Califórnia de Irvine (UCI) no Open Course Ware Consortium (OCWC), o consórcio de instituições de ensino de diversos países que oferecem conteúdos e materiais didáticos de graça pela internet. Agora, o FGV Online está disponibilizando mais dois cursos: Diversidade nas Organizações e Ciência e Tecnologia.

A Fundação Getulio Vargas é a primeira instituição brasileira a participar do OCWC, por intermédio da parceria com a UCI. Sua estréia foi em julho, com os cursos de Recursos Humanos, de autoria da instituição americana, traduzido para o português e adaptado à metodologia da FGV; e o de Ética, desenvolvido pelo FGV Online. A carga horária de cada programa é de 15 horas. Para ter acesso aos cursos, basta acessar o site ocw.uci.edu/courses.

Só na semana de lançamento do curso, mais de 7.000 brasileiros entraram no portal da OCWC - nenhum outro país havia atingido esse número num período de sete dias. De julho a outubro, 14.686 pessoas fizeram o curso de Recursos Humanos e 8.888, o de Ética.

O OCWC é maior movimento de educação compartilhada da Web e o seu principal objetivo é a promoção da livre difusão de materiais educacionais, filosofia e formas de pensamento, seguindo o mesmo conceito dos softwares de código aberto. Mais de 100 instituições de ensino de renome internacional são membros do consórcio que já atraiu usuários de 215 países de todos os continentes. Entre os integrantes do OCW estão o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT); a Escola de Direito de Harvard; a Universidade de Yale; a própria Universidade da Califórnia de Irvine; entre outras.

"A educação a distância vem promovendo uma grande democratização do conhecimento, não só no Brasil. O projeto do OCWC está em sintonia com a filosofia do FGV Online e, por isso, queremos disponibilizar cada vez mais cursos nessa grande rede" ressaltou o diretor executivo do FGV Online, Stavros Xanthopoylos.

O FGV Online e a Universidade da Califórnia de Irvine são parceiros desde 2006. A primeira ação em conjunto foi o desenvolvimento do MBA Internacional em Gerenciamento de Projetos a distância.

Fonte: Jacqueline Sobral - Assessoria de Imprensa

MEC desativa 1.337 centros de ensino à distância

Medida atinge quatro instituições que, juntas, concentram 54,7% dos 760.599 alunos atendidos em todo o país

Demétrio Weber escreve para “O Globo”:

O Ministério da Educação (MEC) determinou a desativação de 1.337 centros de ducação à distância no país, com a suspensão de vestibulares ou redução de novas vagas, e prazo de um ano para que as universidades promovam melhorias, sob ameaça de descredenciamento. As medidas atingem quatro instituições de ensino que, juntas, concentram 54,7% dos 760.599 alunos de graduação à distância no Brasil.

São elas: Universidade do Norte do Paraná (Unopar), Universidade Estadual de Tocantins (Unitins), Faculdade Educacional da Lapa (Fael, no Paraná) e Centro Universitário Leonardo da Vinci (Uniasselvi, em Santa Catarina). As quatro instituições foram as primeiras submetidas a um pente-fino do MEC, por terem um grande número de alunos e serem alvo de denúncias de irregularidades e falhas de conteúdo e de avaliação.

— Elas cresceram rápido demais. Estamos dando um freio nessa expansão, com um choque de qualidade — diz o secretário de Educação à Distância do MEC, Carlos Bielschowsky.

Os centros de atendimento, onde estudam mais de 60 mil universitários em 1.200 municípios, estão proibidos de receber novos alunos. Os atuais estudantes poderão concluir os cursos, mas depois as unidades deverão ser desativadas. Boa parte não tem biblioteca, laboratório, sala de estudos nem acesso à internet na proporção exigida de três alunos por computador.

Instituições não poderão aceitar novos alunos
A restrição atinge principalmente a Unitins e a Fael, que mantêm 1.276 centros de atendimento; e o Uniasselvi, com 61 unidades. Essas instituições só poderão receber novos alunos nos pólos credenciados.

Já a Unopar deverá limitar a 35 mil o número de novos alunos em 2009, uma redução de cerca de um terço — neste ano, mais de 50 mil calouros ingressaram na instituição, que atende 108.940 universitários. A Unopar terá que alterar seu material didático: segundo o MEC, apenas 25% do conteúdo consta nos livros, e com base nisso são feitas as provas.

Na modalidade à distância, a aula é transmitida por satélite para milhares de alunos em telessalas. Os alunos comparecem ao centro uma vez por semana. O restante é feito via internet. A situação mais preocupante, segundo Bielschowsky, é a da Unitins e Fael, que atendem seus alunos por meio da empresa Eadcon, que mantém franquias no país.

— (A empresa) extrapolou. Participa do processo acadêmico de maneira inadequada — disse o secretário.

O diretor de Desenvolvimento e Qualidade Acadêmica da Eadcon, Francisco Sardo, nega irregularidades. Segundo ele, a empresa oferece os meios eletrônicos para a transmissão das aulas. A parte acadêmica, afirma ele, é responsabilidade da Unitins e da Fael. Os dirigentes das instituições elogiam a iniciativa do MEC e dizem que criaram seus cursos quando não havia regras claras sobre a oferta do ensino à distância.

— A legislação foi muito dura. A estrutura é muito cara. Temos que ter esse tempo de readequação. Nosso propósito é buscar a qualidade — diz o reitor da Unitins, Humberto Falcão.

O reitor do Uniasselvi, Malcon Tafner, diz que o custo dos cursos é muito alto. A reitora da Unopar, Elisabeth Bueno Laffranchi, diz que a instituição vai comprar 1,5 milhão de livros e 5 mil computadores.

(O Globo, 18/11)

fonte: http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=60010

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

III Colóquio Internacional Saberes, Práticas: Tecnologias e Processos de Difusão do Conhecimento - BA

A Rede Interativa de Pesquisa e Pós-Graduação em Conhecimento e Sociedade (RICS), por meio de seu programa de Doutorado Multi-institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento (DMMDC), promove o III Colóquio Internacional Saberes, Práticas: Tecnologias e Processos de Difusão do Conhecimento, a realizar-se nos dias 21 e 22 de novembro de 2008, na Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia (UFBA). O objetivo deste evento é reunir pesquisadores brasileiros e estrangeiros que trabalham com questões relacionadas à (in)formação no cenário da sociedade do conhecimento, diante dos grandes avanços das tecnologias de informação e comunicação, visando à construção de processos de difusão do conhecimento mediante o intercâmbio de estudos e pesquisas realizados sobre o tema. Busca também compreender a evolução desses processos em relação aos cenários produtivos de desenvolvimento tecnológico e os diversos contextos sócio-culturais. Isto significa querer aprofundar a investigação sobre a relação entre as tecnologias e os processos de difusão do conhecimento, altamente dependentes dos processos de informação e comunicação, contrastando o local e o global, enfatizando questões que envolvem as conexões entre a universidade, os setores produtivos e demais segmentos da sociedade.


PROGRAMAÇÃO

21/11 [sexta-feira]

08:00 CREDENCIAMENTO

09:00 MESA DE ABERTURA

Profª. Drª Teresinha Fróes Burnham

RICS, DMMDC FACED / UFBA

Profª. Drª Vera Lúcia Bueno Fartes

REDPECT, FACED / UFBA

Prof. Dr. Robinson Moreira Tenório

PPGE / UFBA

Profª. Drª. Rosely Cabral de Carvalho

SECTI / BA


10:00 CONFERÊNCIA DE ABERTURA

Tecnologias e Processos em Difusão do Conhecimento

Prof. Dr. Roberto Aparici

Universidad Nacional de Educación a Distancia, Espanha


14:00 MESA-REDONDA

Papel da Comunidade Científica na Difusão do Conhecimento

Prof. Dr. Jacques Depelchin (a confirmar)

Ota Benga Alliance,Berkeley, California e Kinshasa, D.R. Congo

Profª. Drª Dora Leal Rosa

UFBA / FAPESB

Prof. Dr. Renelson Ribeiro Sampaio

SENAI - Cimatec



22/11 [sábado]

08:30 MESA-REDONDA

Educação a Distância na Difusão do Conhecimento

Prof. Dr. Bento Silva

Universidade do Minho, Portugal

Profª. Drª Maria Roseli de Sá

PPGE, FACED / UFBA

Profª. Drª. Maria Lídia Pereira Mattos

REDPECT / UFBA


14:00 CONFERÊNCIA

Gestão do Conhecimento e da Informação


16:50 PLENÁRIA DE ENCERRAMENTO

Inscrições no local do evento, mediante
lista de presença.

Faculdade de Educação
Universidade Federal da Bahia
Avenida Reitor Miguel Calmon s/n - Campus Canela
Salvador - Bahia - Brasil

Contato: redpet@ufba.br
Fone: (71) 3283-7258

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Palestra "Usos inovadores de TICs na educação em contextos presenciais e a distância" - SP

USOS INOVADORES DE TICs NA EDUCAÇÃO EM CONTEXTOS PRESENCIAIS E A DISTÂNCIA
Palestrante: Profa. Dra. Vani Moreira Kenski
DIA: 10 de novembro de 2008 (segunda-feira)
HORÁRIO: 14h00
LOCAL: ANFITEATRO PUC/SP - Campus Marquês de Paranaguá
Rua Marquês de Paranaguá, 111 - Consolação - São Paulo
inscrições GRATUITAS pelo link http://www.pucsp.br/pos/edmat/

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Curso a distância para docentes cresce 270%

Formação a distância para professores da educação básica divide pesquisadores; segundo o MEC, faltam 246 mil docentes no país

Fábio Takahashi escreve para a "Folha de SP":

Enquanto as matrículas em cursos presenciais para formação de professores para educação básica estão quase estagnadas, a modalidade a distância vive uma explosão: em cinco anos, foram 270% de aumento.

No mesmo período, as matrículas presenciais (em licenciaturas, normal superior e pedagogia) cresceram apenas 17%.

A modalidade em que os alunos não vão todos os dias às faculdades tem sido uma opção para combater o déficit de professores na educação básica do país. Segundo o Ministério da Educação, faltam 246 mil docentes no país; 300 mil não são formados na área de atuação.

Especificamente em pedagogia (que forma educadores para ensino infantil e primeira fase do fundamental), houve até um recuo de matrículas no sistema presencial, de 4%, enquanto os cursos a distância cresceram 183%. Assim, para cada três matrículas presenciais nessa área, já há uma a distância.

Os dados foram tabulados com base no Censo da Educação Superior por Jaime Giolo, ex-diretor do Inep (instituto de estudos do MEC) e docente da Universidade de Passo Fundo (RS) -2006 é o último ano com informações disponíveis.

Divergências

A formação a distância para professores da educação básica divide os pesquisadores. "É uma resposta precária à necessidade de formação de professores", afirma o coordenador da pós-graduação em educação da USP, Romualdo Portela.

Giolo se mostra contrário. Para ele, um dos problemas é que o futuro professor não convive, durante o curso, com situações como enfrentamentos e conversas em sala, o que poderá pesar quando for efetivamente um docente.

A ex-secretária estadual de Educação de São Paulo e diretora-presidente do Instituto Protagonistes, Rose Neubauer, discorda. "Ou continuamos com falta de professores ou utilizamos a tecnologia para aumentar o número", diz.

Nos cursos a distância, centenas de alunos podem ver uma aula ao mesmo tempo, via satélite, que complementa as apostilas e a internet.

Para Neubauer, o ensino a distância permite, inclusive, que haja melhoria na qualidade. "Um bom professor pode dar aula ao mesmo tempo a um número incontável de alunos".

Estudo divulgado no ano passado pelo MEC mostrou que os calouros de cursos de pedagogia a distância tiveram notas melhores que os de presenciais no Enade (antigo provão). A situação, porém, se inverte com os formandos dos cursos.

Mais alunos

"Com a modalidade, chegamos a 39 locais do país", diz a assessora pedagógica da Universidade Metodista de SP, Adriana Barroso de Azevedo. Em pedagogia, são 1.500 alunos (mais que no presencial).

Outra instituição que possui mais alunos em pedagogia a distância do que no presencial são as Faculdades COC. A escola tem 148 pólos em 22 Estados; oito na capital paulista.

"Os alunos desses pólos poderiam fazer o presencial, mas preferem a flexibilidade da modalidade", diz o diretor da escola, Jefferson Fagundes. "Também pesam as mensalidades".

No COC, pedagogia presencial custa R$ 350 e R$ 176 no a distância. Na Metodista, os valores são R$ 383 e R$ 207.

Aluna de pedagogia a distância, Lilian Georgeto, 34, diz que escolheu o curso por "comodidade". Ela mora em Osasco (Grande SP). "Tenho dois filhos, não poderia ir à faculdade todos os dias. O curso é bom, tenho contato com colegas do país todo. Mas sinto falta da convivência com professores".

Segundo o secretário de Educação a Distância do MEC, Carlos Eduardo Bielschowsky, a intenção é que a modalidade "complemente" a presencial.

"Ela supre os locais onde não há um bom curso. É ideal também para professores que estão em serviço e não podem parar para se formar", diz.

Bielschowsky afirma que esse é o público preferencial da Universidade Aberta do Brasil, criada em 2005 e que possui 100 mil matriculados.

A modalidade também será utilizada pelo governo estadual paulista, por meio da Universidade Virtual de SP. "Levaremos cursos da USP, Unesp e Unicamp a todo o Estado. Isso seria praticamente inviável pelo presencial", diz o secretário de Ensino Superior, Carlos Vogt.

Qualidade de curso ainda é duvidosa, diz pesquisadora

Coordenadora do Preal (Programa de Promoção e Reforma Educativa da América Latina e Caribe), a pesquisadora Denise Vaillant afirma que a formação inicial dos professores deve ser feita em "escolas reais, e não virtuais". A uruguaia aponta falta de qualidades em cursos a distância.

- Como a senhora avalia os cursos a distância para formação de professores?

O problema é que muitos desses cursos têm qualidade duvidosa. A formação inicial dos professores exige atividades presenciais em centros de práticas. A formação de docentes requer trabalhos em grupo, prática nas escolas, o que não é possível fazer a distância. O que é possível é oferecer cursos de formação continuada a distância.

- Se são tão criticadas, porque eles crescem tanto?

Como há muitas carências para a formação de professores, há demanda pelos cursos. Nem toda oferta é ruim, há propostas com potencial.

- Algum país da região criou bons projetos?

Chile e Colômbia têm bons modelos de formação, mas de educação continuada. Para a formação inicial, não há experiência na América Latina suficientemente avaliada e com resultados.

Quem diz que curso presencial é bom?, questiona professor

Professor da USP e presidente da Abed (Associação Brasileira de Educação a Distância), Frederic Litto rebate as críticas em relação à qualidade dos cursos a distância para formação de professores. "Até agora, ninguém mostrou dados quanto a isso. Nem dá para considerar."

O americano, que coordenou até 2006 a Escola do Futuro da USP, questiona ainda a qualidade dos cursos presenciais de formação docente. "Quem disse que são bons?"

- Por que o ensino a distância cresce tanto nessa área?

Há muitos professores no Brasil sem o curso superior. Como tirá-los do trabalho para fazer a atualização? Só pode ser com a flexibilidade do ensino a distância.

- Uma das críticas à modalidade é que os alunos têm pouca convivência universitária, o que pode influenciar no momento de dar aulas. Como o senhor avalia isso?

A maioria dos estudantes já são professores. Eles já conhecem a prática e precisam da teoria. Como o curso de pedagogia é bastante teórico, ele pode ser a distância. E complementado com estágios.

- Há críticas também quanto à qualidade.

Até agora, ninguém mostrou dados quanto a isso. Aliás, quem disse que os cursos presenciais são bons?
(Folha de SP, 4/11)

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Curso a distância “Direitos Humanos e Mediação de Conflitos"

A Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH), em parceria com o Instituto de Tecnologia Social (ITS Brasil), oferece nova oferta do curso“Direitos Humanos e Mediação de Conflitos. O curso é gratuito e realizado integralmente a distância, via internet. Pessoas de qualquer lugar do Brasil podem participar. Com carga horária de 60h , com um módulo por semana (ao longo de 10 semanas), a participação é acompanhada e avaliada por tutores e o certificado é emitido mediante aproveitamento que obedeça aos critérios estabelecidos no curso.

Essa formação pretende contribuir para que lideranças comunitárias, militantes de movimentos sociais , membros de pastorais e comunidades religiosas promovam os direitos humanos e atuem na resolução dos conflitos em suas comunidades.

O curso parte de situações práticas e das necessidades concretas desses militantes e pretende apontar caminhos para solucionar conflitos ligados aos direitos humanos, fornecendo informações sobre órgãos públicos e organizações da sociedade civil, além de um ambiente para a troca de experiências. Seu conteúdo está estruturado nos temas dos direitos humanos e seus conflitos.

Se você tem interesse em participar dessa nova turma do curso, acesse o site e faça agora mesmo o seu cadastro de confirmação:
http://cursos.educacaoadistancia.org.br/login/signup.php

Ao realizar este cadastro, você receberá uma confirmação por e-mail e 48 horas antes do início do curso (que está previsto para começar no dia 10 de novembro) enviaremos um segundo e-mail com o link da sua sala virtual e as primeiras orientações, fique atento.

Participe!

Coordenação do curso Direitos Humanos e Mediação de Conflitos

Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH-PR)
Instituto de Tecnologia Social (ITS Brasil)

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Encontro de Educação e Tecnologias da Informação e Comunicação (E-TIC) - RJ

NOVO PRAZO! Período para o encaminhamento dos trabalhos – de 15/09 a 07/11

O Mestrado em Educação da Universidade Estácio de Sá (UNESA) há seis anos consecutivos vem promovendo, sob a responsabilidade de sua linha de pesquisa Tecnologias da Informação e Comunicação nos Processos Educacionais (TICPE), o evento:

Encontro de Educação e Tecnologias da Informação e Comunicação (E-TIC).

O objetivo principal do E-TIC é divulgar e discutir trabalhos de alunos de cursos de pós-graduação stricto-sensu (PPGs) e de mestres/doutores em educação e comunicação recém titulados.

VI E-TIC

O evento se dará nos dias 17, 18 e 19 de novembro de 2008, na Universidade Estácio de Sá, Campus I – Centro (Avenida Presidente Vargas, 642 - esquina com a Rua Uruguaiana), quando ocorrerão duas conferências, uma mesa redonda e diversas comunicações de pesquisas em andamento ou já concluídas, conduzidas por esses alunos e ex-alunos. Todas as atividades contam com apoio da Vice-Reitoria da Universidade Estácio de Sá.

Convidamos os Programas de Pós Graduação (Mestrado e Doutorado) em Educação e Comunicação a encaminharem trabalhos de seus orientandos e ex-alunos. Os relatos de pesquisa devem estar vinculados ao tema Formação de professores na cibercultura e obedecer às normas definidas na aba Trabalhos.

Convidamos, também, professores das redes pública e particular de ensino a participarem do evento, de modo que possam, com suas experiências, contribuir com os debates em torno da questão “Formação de professores para a utilização das tecnologias digitais na educação”.

Estrella Bohadana, Lina Cardoso Nunes, Lúcia Vilarinho, Marco Silva e Mônica Rabello.

Docentes da Linha TICPE – Mestrado em Educação - UNESA

Site: http://etic2008.wordpress.com/

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

2º Simpósio da Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura - SP

De 10/11/2008 à 13/11/2008
Faltam 22 dias para o início do evento. Duração: 4 dias

Agência FAPESP – O 2º Simpósio da Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura (ABCiber) será realizado entre 10 e 13 de novembro na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).
O objetivo do simpósio é discutir as relações entre tecnologias e redes digitais, cultura contemporânea e reorganização cotidiana do social, avaliando o estado atual da pesquisa desenvolvida no país nesse campo temático. O evento é organizado pelo Centro Interdisciplinar de Pesquisas em Comunicação e Cibercultura, do Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica da PUC-SP.
Nos três primeiros dias, o simpósio terá sessões de trabalho acadêmicas e culturais seqüenciais, entre conferências, mesas-redondas e painéis temáticos. As mesas de conferência contemplam três pesquisadores convidados sob a mediação de participante com função facultativa de debatedor.
As mesas-redondas e os painéis temáticos contarão também com até três palestrantes, cujo artigo tenha sido selecionado pela comissão julgadora. A mediação será semelhante à das mesas de conferência. No último dia do evento haverá duas sessões de trabalho executivas e deliberativas, referentes à organização institucional e acadêmica da ABCiber.
Mais informações: www.cencib.org/simposioabciber

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Projeto Casa Brasil promove oficinas gratuitas a distância

O Projeto Casa Brasil por intermédio de suas formações, tem por objetivo contribuir para a construção de uma sociedade mais justa, por meio do compartilhamento social, cultural, artístico, tecnológico e da articulação com iniciativas que tenham objetivos convergentes.

Assim, o Casa Brasil @ convida a participar de uma de suas oficinas integralmente a distância.

5a edição da Oficina
Introdução a Economia Solidária

1a edição da Oficina
Jornalismo Comunitário

3a edição da Oficina
E-gov: educação previdenciária

PARA SE INSCREVER OU SABER MAIS SOBRE AS OFICINAS ACESSE:

http://cursos.casabrasil.gov.br/file.php/1/oficinas10.html

Todas as oficinas são gratuitas e só têm como pré-requisito familiaridade e acesso regular à internet no período de 17/11 a 5/12/08. A dedicação recomendada por oficina é de 1 a 2 horas por dia.

Inscrições abertas até a segunda-feira, dia 10/11/2008,

ou até terminarem as vagas

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Duvidas? Escreva para
cursos@casabrasil.gov.br


segunda-feira, 27 de outubro de 2008

II Simpósio Nacional da ABCIBER

ABCIBER - II SIMPÓSIO NACIONAL
INSCRIÇÕES E FILIAÇÕES

Caros(as) colegas,

A Comissão Organizadora do II Simpósio Nacional da ABCIBER - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISADORES EM CIBERCULTURA lembra que se encontram abertos o processo de inscrição para participação certificada e o processo de cadastramento para filiação à entidade.

Ambos os procedimentos devem ser realizados através do site do evento (http://www.cencib.org/simposioabciber).

A homepage
Solicitamos a gentileza de dar ampla divulgação da presente mensagem aos seus Grupos de Pesquisa, Departamentos, Programas de Pós-Graduação e Universidades.

Disponibilizamos abaixo um dispositivo para todos(as) que desejem repassar a mensagem agora.

A Comissão Organizadora permanece à disposição para quaisquer esclarecimentos (através dos e-mails:
cencib@cencib.org e cencib@pucsp.br.)

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Curso a distância "Mobilizadores para Registro Civil de Nascimento e Documentação Básica"

CURSO GRATUITO - 1000 VAGAS - REGIÃO NORDESTE - VIA INTERNET

O curso tem como objetivo formar agentes para que atuem como mobilizadores permanentes para erradicar o sub-registro de nascimento e orientar para documentação civil. De acordo com o estudo do IBGE (2006), os maiores percentuais de nascidos vivos em 2006 sem certidão de nascimento estão nas regiões Norte e Nordeste, com Alagoas, 31,6%; Bahia, 25,2%; Ceará, 20,7%; Maranhão, 22,4%; Paraíba, 13,8%; Pernambuco, 12,0%; Piauí, 33,7%; Rio Grande do Norte, 17,7%; e Sergipe, 21,9%

Gestores públicos, assistentes sociais, agentes comunitários de saúde, pastorais e previdenciários, conselheiros municipais de direitos da criança e tutelares, líderes comunitários, religiosos, quilombolas, ribeirinhos, ciganos, indígenas e do movimento Sem Terra, servidores de órgãos registradores, alfabetizadores, gestores da bolsa família, profissionais dos CRAS/CRES, sindicatos, entre outros. Em caso de disponibilidade de vagas, serão aceitas inscrições desse público oriundo da região Norte

Com carga horária de 40 horas, apresenta temas como: Direitos Humanos; Direito ao nome e à nacionalidade; O registro civil de nascimento e documentações básicas com destaque para grupos como indígenas, ciganos, ribeirinhos e quilombolas, programas, leis e gratuidade; o papel do agente mobilizador.


II Curso On-Line de Introdução à Estatística para Pesquisa Clínica

O Centro Internacional de Pesquisa e Ensino do Hospital A.C. Camargo (Hospital do Câncer de SP) realizará curso pela Internet, na modalidade de extensão universitária, com carga horária de 48 h (8 semanas).

Início previsto para 27 de outubro de 2008.
Informações e inscrições:
http://www.accamargo.org.br/index.php?page=385&idCurso=235
<http://www.accamargo.org.br/index.php?page=385&idCurso=235>

Objetivo: Revisar conceitos gerais de estatística aplicada à pesquisa médica, abrangendo estatística descritiva, inferência estatística, uso de software para análise estatística, planejamento experimental e diferentes tipos de pesquisa clínica experimental e epidemiológica em medicina, avaliação de qualidade de trabalhos científicos. O curso é ministrado seguindo uma abordagem prática e aplicada, utilizando softwares para o aprendizado e exercicios práticos (Epi Info for Windows, o qual será distribuido gratuitamente para os alunos do curso).

Programa do Curso

Introdução à Estatística
Noções conceituais de estatística e metodologia quantitativa de pesquisa e ensaios clínicos. Método científico. Variação biológica. Conceitos básicos: população, amostra, variável, distribuição, probabilidade, descrição, inferência. Os diferentes tipos de testes estatísticos e sua aplicabilidade. Exemplos de inferência estatística. Qui-quadrado, teste t, correlação e regressão lineares.

Prática de Análise Estatística
Análise estatística prática em medicina utilizando o EPI-INFO.
Características do software. Módulos. O módulo de análise. A base de dados. Perguntas de pesquisa a serem feitas. Estatística descritiva: média, desvio-padrão, freqüências, gráficos exploratórios, etc. Análise de contingência: qui-quadrado. Calculo de risco. Análise de correlação.
Teste de diferenças. Teste t e análise de variância. Seleção de sub-amostras, definição de variáveis.

Planejamento Experimental de Pesquisas Clínicas
Como são realizadas pesquisas e ensaios clínicos. Ensaios retrospectivos e prospectivos. Aleatorização. Amostragem. Estudos cegos e duplo cegos. Fases da pesquisa clínica. Planejamento experimental, estudos caso-controle, longitudinais e cruzamento. Cálculos de risco. Meta-análise e sua aplicação na medicina baseada em evidência. Conceitos básicos de medicina baseada em evidência.

Avaliação da Qualidade de Trabalhos Científicos
Como avaliar a qualidade de um trabalho de pesquisa clínica do ponto de vista quantitativo. Elementos de um trabalho científico original em medicina farmacêutica. Processo de publicação. Revisão pelos pares.
Planejamento experimental adequado, e uso adequado de estatística.
Apresentação em tabelas e gráficos. Referências bibliográficas.

Coordenação e Docência:
Prof. Dr. Renato M.E. Sabbatini, PhD, fisiologista, professor associado aposentado da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, Brasil; professor de informática médica, bioestatística e metodologia científica da UNICAMP e ex-professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP (graduação e pós-graduação). Fundador e presidente do Instituto Edumed, especialista em educação a distância.
http://renato.sabbatini.com

sábado, 18 de outubro de 2008

7ª Oficina para Inclusão Digital abre inscrições - PA

Já estão abertas as inscrições da 7ª Oficina para Inclusão Digital, que vai acontecer no Hangar - Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém, no período de 4 a 7 de novembro. O evento vai discutir, entre outros temas, os desafios da inclusão digital na Amazônia, a diversidade cultural e o desenvolvimento sustentável.

As inscrições estão disponíveis gratuitamente no portal
http://www.inclusao .digital. pa.gov.br/ formularioOid/

A Oficina para Inclusão Digital é hoje no maior evento nacional sobre a temática e a mesma cresce em importância quando se propõe apresentar os grandes desafios de inclusão digital na Região Norte.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Formação de Mobilizadores para o Registro Civil de Nascimento e Documentação Básica

CURSO GRATUITO -

MIL VAGAS - REGIÃO NORDESTE - VIA INTERNET

O Compromisso Nacional pela Erradicação do Sub-registro Civil de Nascimento e Ampliação do Acesso à Documentação Básica tem como meta principal erradicar até 2011 o sub-registro de nascidos vivos e assim reduzir o índice estadual a um patamar igual ou inferior a 5% em todo o país.

O curso Formação de Mobilizadores para o Registro Civil de Nascimento e Documentação Básica faz parte deste compromisso e está sendo desenvolvido pela Ágere Cooperação em Advocacy e a Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República - SEDH/PR. O objetivo será formar agentes para que atuem como mobilizadores permanentes para erradicar o sub-registro de nascimento e orientar para documentação civil, sempre impactando nas políticas públicas de registro.

De acordo com o estudo do IBGE (2006), 12,7% dos nascidos vivos em 2006 não possuem certidão de nascimento. Os maiores percentuais observados estão nas regiões Norte e também Nordeste com Alagoas 31,6%; Bahia 25,2%; Ceará, 20,7%; Maranhão, 22,4%; Paraíba 13,8%; Pernambuco 12,0%; Piauí 33,7%; Rio Grande do Norte 17,7%; e Sergipe, 21,9%.

Público Específico - gestores públicos, assistentes sociais, agentes comunitários de saúde, pastorais e previdenciários (educação previdenciária) , conselheiros municipais de direitos da criança e tutelares, lideres comunitários, religiosos, quilombolas, ribeirinhos, ciganos, indígenas e do movimento Sem Terra, servidores de órgãos registradores, alfabetizadores, gestores da bolsa família, profissionais dos CRAS/CRES, sindicatos, organizações de trabalhadores rurais, entre outros que atuarão na mobilização para o registro civil de nascimento e documentação básica. Em caso de disponibilidade de vagas, serão aceitas inscrições desse público oriundo da região Norte.

Conteúdo - com carga horária de 40 horas apresenta temas como: Direitos Humanos; Direito ao nome e a nacionalidade; Convenção sobre os Direitos da Criança e nº 169 da OIT sobre Povos Indígenas e Tribais; Participação e controle social; Como e onde obter o registro civil de nascimento e demais documentações básicas com destaque para grupos específicos como indígenas, ciganos, ribeirinhos e quilombolas, por que obter a documentação; Contexto atual do registro civil de nascimento e documentação básica no Brasil, programas, leis e gratuidade; O papel do agente mobilizador para registro civil de nascimento.

INSCRIÇÕES e INFORMAÇÕES

www.mobilizadoresregistrocivil.org.br

Seminário Internacional Brasil-Canadá de Educação a Distância - GO

Os interessados podem se inscrever no Seminário Internacional Brasil-Canadá de Educação a Distância até o dia 7 de novembro. O evento é realizado nos dias 11 e 12 de novembro pela Universidade Federal de Goiás*
As inscrições para o Seminário Internacional Brasil-Canadá de Educação a Distância podem ser realizadas até o dia 7 de novembro, via internet<http://www.funape.org.br/boleto/gerar_boleto.php?id=61>.
O evento ocorrerá entre os dias 11 e 12 de novembro no Instituto de Informática da Universidade Federal de Goiás (UFG) e tem como público-alvo professores, pesquisadores, gestores públicos estaduais e municipais, empresas, dirigentes de instituições de ensino e demais pessoas interessadas no assunto.
O Seminário visa promover discussões entre profissionais da área de ensino a distância e abordar temas como o mapeamento de estratégias para Educação a Distância (EaD), a identificação de tecnologias e ações para melhorar os programas de EaD. Além disso, serão discutidas oportunidades futuras de colaboração entre os países participantes. As palestras serão ministradas por pesquisadores do Brasil e do Canadá e haverá também painéis de discussões sobre o tema.
A relevância do evento passa pelo crescente aumento da Educação a Distância (EaD) no Brasil. Em 2007, o número de alunos de EAD chegou a 972.826, divididos em 257 instituições credenciadas, o que representa um aumento de 213% nos últimos quatro anos. Esse crescimento se deu devido ao apoio do governo Federal que acredita que a EaD é ferramenta fundamental para a inclusão do jovem no sistema superior de ensino, e devido as universidades e entidades que adotaram o sistema de EaD. Já o Canadá investe há mais de 40 anos em Educação a Distância e, hoje, a EaD permeia todo o sistema de ensino canadense, seja por meio do ensino formal ou mesmo via treinamento profissional e projetos de educação cooperativa.
O evento é organizado pela Universidade Federal de Goiás (UFG), via Centro Integrado de Aprendizagem em Rede (Ciar), Instituto de Informática, Coordenação de Assuntos Internacionais (Cai) e Núcleo de Estudos Canadenses.
As vagas são limitadas e a inscrição é no valor de R$ 60,00 para profissionais e R$ 30,00 para estudantes, mediante apresentação de comprovante de matrícula 2008 no local do evento. Mais informações pelo site do seminário <http://www.sibc-ead.ciar.ufg.br/> ou pelos telefones (62) 3521-1165 (Coordenadoria de Assuntos Internacionais) ou (62) 3521-1181 ou 3521 -1182 (Instituto de Informática).

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Curso e-Learning de Introdução ao HL7 - 2008

(3rd E-Learning Pilot Course)

O INSTITUTO HL7 BRASIL foi convidado para participar em um projeto piloto do HL7 ORG, em edição limitada, de um Curso Virtual de Introdução ao HL7, através de ferramenta de ensino à distância via WEB , com o objetivo de dar uma visão geral dos padrões HL7 v2, HL7 v3 e o CDA.

Este curso tem duração de 10 semanas com início no dia 09 de outubro e se estendendo até 18 de dezembro de 2008, e foi desenvolvido em inglês.

A programação inclui 16 tópicos (vide abaixo) com ensino interativo e através de um vasto material de estudo, com assistência on-line de instrutores, fórum de discussão e exercícios com follow-up de avaliação e discussão dos temas apresentados.

O curso é voltado para iniciantes e busca fornecer os conceitos básicos e experiência técnica geral sobre o padrão HL7.

Informações adicionais sobre a inscrições, preços e programação podem ser obtidos no www.hl7brasil.org.br

PROGRAMAÇÃO

1. The need for Standards, Vocabularies, HL7
2. Intro to HL7 V2.x
3. HL7 V2.x: Data Types, ACK
4. HL7 V2.x: ADT, orders, results
5. HL7 V2.x: Other chapters
6. HL7 V2.X: Z segments
7. HL7 V2.X. Implementation guides
8. Intro to XML – Part 1
9. Intro to HL7 V3
10. HL7 V3 and vocabulary
11. HL7 V3 RIM
12. HL7 V3 Domains
13. HL7 V3 Data Types
14. HL7 V3 Domains
15. HL7 V3 Implementation
16. HL7 CDA R2

domingo, 5 de outubro de 2008

I Colóquio sobre o uso de Tecnologias na Educação - BA

A Diretoria de Educação a Distância e Tecnologia Educacional (DIRED) - IAT/SEC, realiza, entre os dias 28 a 31 de outubro, nas dependências do IAT, dois eventos voltados para o fortalecimento da base científica e tecnológica da Educação no Estado da Bahia. Um deles é o I Colóquio sobre o uso de Tecnologias na Educação, com tema geral: Informática Educativa, Formação Continuada de Professores e Construção de Novas Trilhas que acontece nos dias 28 e 29, das 8h às 18h, e, em seguida, acontece, de forma integrada, o I Encontro de Coordenadores, Professores-Multiplicadores NTE - BA, dias 30 e 31.
O primeiro colóquio é direcionado a profissionais, pesquisadores e professores da área de tecnologia educacional que tenham interesse em comunicar pesquisa e desenvolver parcerias, que definam como objeto de interesse o estudo de Tecnologia na Educação.
Já o I Encontro de Coordenadores... objetiva refletir as ações do grupo já concluídas, ou em conclusão, planejando possibilidades futuras de trabalho coletivo na formação continuada de professores no Estado da Bahia. O intuito é, também, proporcionar espaços de intercâmbio de resultados de pesquisas que traduzam novas teorias ou metodologias de análise.
As inscrições já estão abertas. Os trabalhos que serão apresentados no colóquio devem ser enviados à Comissão de Avaliação onde serão devidamente analisados. O envio dos trabalhos deve ser feito via rede, pelo coloquio2008teceducacao_iatnteba@superig.com.br ou enviado via correios, em CD, DVD, disquete ou pendrive, para o endereço: Estrada da Muriçoca, s/n, Paralela, Cep.: 41.250-420, Salvador - BA.
Mais informações:http://www.sec.ba.gov.br/iat/

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Vaga para Revisora em EaD - SP

A UNINOVE - EAD está em busca de alguém para trabalhar 44 horas semanais como revisora. O local de trabalho é a Vl. Maria - ZNorte - SP. É necessária a formação em letras e experiência com revisão.
Os interessados podem encaminhar o CV para melissa.gabarrone@uninove.br

domingo, 28 de setembro de 2008

Canal Saúde debate o papel da Educação a Distância na formação do profissional da Saúde

ENSP, dia 26/09/2008

O programa Sala de Convidados, do Canal Saúde/Fiocruz, debate, nesta terça-feira (30/09), das 13h às 14h, a Educação a Distância (EaD) aplicada à formação profissional na saúde pública. Participam como debatedoras a coordenadora do Programa de Educação a Distância da Escola
de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp/Fiocruz), Lúcia Dupret, e Lillian Daisy, professora doutora do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Paraná, especialista em formação de professores em EaD. O Sala de Convidados é apresentado por Renato Farias.

Outras questões relacionadas ao tema também estarão em discussão: o futuro da educação terá necessariamente a EaD como parceira? Até que ponto a presença do professor em sala de aula é fundamental? Como saber se o curso é aprovado pelo Ministério da Educação? O público conhecerá com mais detalhes o trabalho desenvolvido pela EaD da ENSP, além de poder participar por chat, e-mail (canal@fiocruz.br) ou por telefone (0800-701-8122), enviando pergunta para os convidados.

EaD - No Brasil, as bases legais para a modalidade de educação a distância foram estabelecidas pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (1996), que foi regulamentada por decreto em 2005. Em 3 de abril de 2001, o Conselho Nacional de Educação estabeleceu as normas para a pós graduação lato e stricto sensu. Fonte: Secretaria de Educação
a Distância/Ministério da Educação.

Como participar - Na internet, acesse , clique na telinha com a inscrição "ao vivo" e participe a partir do chat associado à transmissão. Se preferir, antecipe suas perguntas enviando e-mail para
canal@fiocruz.br. No caso da televisão, é necessária uma antena parabólica conectada ao aparelho. Pela Embratel, o programa será veiculado na freqüência do Canal Saúde (polarização horizontal 3.930 Ghz ou 1.220 Mhz). Para saber como sintonizar a NBR em sua cidade, acesse http://www.radiobras.gov.br/nbr/cidadesnbr_2004.htm ou < http://www.ra-diobras.gov.br/estatico/tv_nbr_sintonize.htm>.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Seminário Internacional Brasil-Canadá sobre EaD - GO

Nos dias 11 e 12 de novembro acontecerá na Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás o Seminário Internacional Brasil-Canadá sobre EaD.

Para inscrições e maiores informações sobre o evento acesso o site http://www.sibc-ead.ciar.ufg.br/

Wendell Bento Geraldes
Tecnólogo em Desenvolvimento de Sistemas
Especialista em Informática na Educação
Anápolis - Goiás
Linux user #471850
Ubuntu user #22203
http://diariodeuminformata.wordpress.com/

I Congresso Ruy Barbosa de Pesquisa Aplicada e Inovação em TI - BA

(Clique na imagem para ampliá-la)

Mini-curso (MC)

Empreendedorismo tecnológico

Instrutor: Prof Alexandre Paupério, Diretor da Brasil Inovação.

Expositores dos Painéis:

Painel 1:
Alzir Mahl, Coordenador de Projetos, FAPESB (Mediador), Álvaro Santos, Assessor da Casa Civil do Estado da Bahia, Ruben Delgado, Diretor da ZCR.

Painel 2:

Carlos Nestor, Presidente da SUCESU-BA (Mediador), José Canedo, Diretor de P&D da Griaule, Clabony Moraes, Gerente de Projetos da Polisystem, David Viscarra, Gerente de Projetos da Softwell.

Painel 3:

Cláudio Amorim, Coordenador do Bacharelado em Computação da Faculdade Ruy Barbosa, Adhvan Furtado, Gestão Estratégica de TI, Casa Civil do Estado da Bahia, Horácio Hastenreiter, Gerente do Parque Tecnológico da Bahia.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

I Simpósio de Educação a Distância dos Países de Língua Portuguesa - PT

A Universidade Aberta (UAb), sob o Alto Patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República, e com o apoio do Secretário Executivo da Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa (CPLP), organiza, nos dias 30 e 31 de Outubro no Auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa, Portugal) o 1º Simpósio de Educação a Distância dos Países de Língua Oficial Portuguesa.
http://www.univ-ab.pt/eventos/simposio_ead/

terça-feira, 16 de setembro de 2008

UNEB seleciona Professores(as) de Educação a Distância - BA

UNEB abre inscrições para seleção e cadastro de professores para cursos na modalidade de Educação a Distância - Processo seleciona docentes e tutores para licenciaturas em Matemática, Química, História e Pós-graduação lato sensu em EaD - Inscrições até 22/setembro, pela Internet

A Universidade do Estado da Bahia (UNEB), através do Núcleo de Educação a Distância (Nead), está com inscrições abertas para processo seletivo de cadastro e seleção para professores, que irão atuar nos cursos de Educação a Distância (EaD). As inscrições podem ser realizadas até o dia 22 de setembro, pelo endereço www.campusvirtual.uneb.br/inscricao.

De acordo com o edital de seleção, serão oferecidas ­­cerca de 100 vagas para as funções de professor formador, professor autor, tutor presencial e tutor à distância, para os cursos de licenciatura em Matemática, Química e História, e para o curso de especialização em Educação a Distancia, todos na modalidade EaD.

Podem se candidatar docentes da UNEB, além de professores de outras instituições, habilitados para lecionar as disciplinas relacionadas aos cursos oferecidos. Para participar da seleção, os candidatos devem ter experiência docente em ensino superior de, no mínimo, três anos, preferencialmente em Educação a Distância.

A seleção será composta por três etapas: análise do currículo, entrevista (apenas nos casos em que a comissão achar pertinente), e participação no curso de capacitação para docentes em EaD, ofertado pelo comitê gestor do Núcleo de Educação a Distância (Nead).Todos os docentes irão participar desta etapa, mesmo aqueles com experiência comprovada.

Realizar videoconferências, gravar video-aulas, acompanhar o desempenho dos estudantes no ambiente virtual de aprendizagem, fóruns e chats, enviar e responder mensagens dos estudantes por correio eletrônico são algumas das atividades que serão desenvolvidas pelos futuros docentes na modalidade EaD.

A remuneração varia entre R$500 e R$1,2 mil, e será realizada sob forma de bolsas mensais, referentes à carga horária de cada disciplina, conforme edital.

Segundo o coordenador adjunto da UAB e também coordenador administrativo do NEAD, Jader Albuquerque, a grande vantagem da EaD é poder levar cursos de nível superior para regiões onde não há estrutura, reduzindo os custos de deslocamento para os estudantes.

"A intenção do ensino a distância é democratizar o acesso à educação superior de qualidade e ampliar o contingente de professores preparados. Esse é um projeto que faz parte da estratégia do governo da Bahia, com o apoio do governo federal, e tem com foco os cursos de licenciatura", ressalta o coordenador.

Jader afirma ainda que os cursos EaD terão 22 pólos presenciais, geridos pela UNEB, com parceria da Secretaria estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), através do Centro Digital de Cidadania (CDC).

Os cursos a distância da UNEB são ofertados a partir de convênio firmado entre a Universidade Aberta do Brasil (UAB), o Fundo Nacional de Desenvolvimento Educacional (FNDE), a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), e Ministério da Educação (MEC), em parceria com prefeituras e governo do Estado.
Pesquisa personalizada
Se quiser, pode copiar e reproduzir os artigos aqui publicados, desde que sejam citadas a fonte e a autoria.